É comum vermos pessoas sofrendo por fim de relacionamento. Para muitos, é uma dor grande que as fazem sofrer por muito tempo, até mesmo por anos. Contudo, nem sempre, no final do relacionamento a cisão pode gerar algum tipo de dor, independente da pessoa desejar o término ou não.

Entretanto, muitas pessoas acabam se perguntando “como superar o fim de um relacionamento?“, apesar de terem altos e baixos, é natural que nos momentos de tensão os altos sejam totalmente esquecidos e somente lembrados quando o relacionamento acaba. Isso gera algum sofrimento que pode ser mínimo ou não.

O sofrimento aparece, principalmente, quando esse término se dá de repente por uma das partes, fazendo com que não existam sinais e conversas anteriores para o parceiro notar que o relacionamento já não está caminhando tão bem assim.

Esse término é um dos mais sofridos, em que o parceiro não terá tempo suficiente para aceitar melhor a ideia de começar a viver sem a pessoa amada, de um dia para o outro. Isso pode ocorrer por diversos motivos, mas uma boa ideia é sempre conversar antes para tentar solucionar as brigas e insatisfações.

As questões de fim do relacionamento

Ao contrário do início do relacionamento, situação a qual geralmente é contemplada por muita alegria, novidade, entusiasmo e, claro, muita paixão, o término do relacionamento leva a total perda de tudo que foi conquistado, o que pode gerar uma sensação de fracasso.

Então, começam-se os questionamentos de culpa: “será que eu fiz tudo que poderia?”, “onde eu errei?”, entre outras. Essas questões atordoam mais ainda aquele que está sofrendo pelo fim.

Entretanto, devemos fazer perguntas melhores para saber um pouco mais do que aconteceu, como, por exemplo: “o que o casal fez para que isso fosse evitado?”.

Perguntas deste tipo geralmente são esquecidas, lembrando que todo relacionamento é uma via de mão dupla, ou seja, são duas pessoas, duas vontades, duas opiniões, duas personalidades. São duas pessoas que resolvem compartilhar um pedaço de suas vidas com a pessoa amada. Isso não significa que não existirão problemas.

Todos os casais brigam, todos os casais ficam tristes um com o outro. Isso faz parte do cotidiano da vida dos casais. O que muda é o que é feito após algum contratempo.

O término do relacionamento nunca deve ser a primeira opção. Ele deve ser feito apenas quando realmente a situação ficou insustentável ou quando o relacionamento perdeu o interesse por alguma das partes.

Vale lembrar que, não se deixa de gostar de alguém do dia para noite. Não se acorda no dia seguinte e lembra que não gosta mais do parceiro. Neste caso é algo que foi sendo cultivado durante algum tempo e muito provavelmente ignorado.

A superação de um término de relacionamento

Tudo poderia ser mais fácil se o ponto final no relacionamento fosse apenas uma questão de opção e vontade, contudo, não é tão simples assim. A partir do término começará um novo ciclo, em que o abandonado terá que se acostumar a não mais contar com quem contava antes.

Sabe-se o quanto é dolorido para muitos isso, e essas questões de sofrer por amor são tão importantes que grupos foram criados para ajudar, como, por exemplo, o MADA (Mulheres que Amam Demais Anônimas).

Mas apesar de todos os términos traumáticos, não se deve entrar num casulo e não ter mais relacionamentos. Apesar de ser natural se basear em antigos relacionamentos para prever os futuros, deve-se experienciar mais a vida, repensar no que ocorreu de errado, mudar e não presumir que seu parceiro sempre quer fazer mal a você.

Se você está num relacionamento saudável, seu parceiro sempre será o que menos quer fazer algum mal a você. E se o parceiro o fez, a intenção por muitas vezes era outra. Mas aqui, vale lembrar, falar sobre isso é muito fácil, mas colocar em prática é complicado. Vamos tentar nos observarmos um pouco?

E você, precisa de ajuda para superar a dor do fim de um relacionamento? Gostaria de conversar com alguém para que a distância do antigo parceiro seja menos traumático? Entre em contato e marque sua consulta!