Pular para o conteúdo

Como identificar uma sobrecarga emocional?

Com as atividades exaustivas do cotidiano é muito comum a reclamação de sobrecarga emocional.

Podemos ficar sobrecarregados fisicamente, no campo psíquico, ou até nas duas esferas conjuntamente. Mas o fato de estarmos atarefados e, consequentemente, tristes e deprimidos, não deve ser encarado com normalidade.

Fazer várias coisas ao mesmo tempo, aconselhar os amigos, aconselhar a si mesmo já virou rotina para o ser humano contemporâneo.

Mas é necessário sintonizar que não devemos nos cobrar e nos desgastar desumanamente.

Renunciar a coisas desnecessárias também faz parte da vida e a saúde mental agradece imensamente.

Todavia, você sabe identificar alguns sintomas da sobrecarga emocional?

Nosso corpo costuma dar indicativos de quando devemos parar ou minimizar nossos esforços, mas nem sempre ouvimos estes sinais.

É preciso olhar mais para si mesmo e fazer o bem-estar prevalecer.

Alguns sinais de sobrecarga emocional que merecem atenção

Insônia, cansaço no corpo, tensão muscular, bruscas mudanças de peso, alterações repentinas de humor, desgaste, costumam ser recorrentes em um sujeito sobrecarregado.

A exaustão emocional acarreta também problemas internos e pode causar danos gravíssimos. A ansiedade e depressão são bons exemplos desses malefícios.

Quando nos cobramos demasiadamente, quando queremos dar conta de tudo e, sobretudo, carregar o mundo nas costas, o desfecho não será nada promissor para saúde.

Nem tudo é encargo nosso, isto é, nem todas as coisas devem ficar sob nossa responsabilidade.

Isto não é ser individualista, mas sim cuidar de si mesmo.

Ansiedade e depressão

Nas palavras de Freud, a ansiedade é definida como “uma reação à percepção de um perigo externo - isto é, de um dano que é esperado e previsto”. Ou seja, algo que ainda está incutido no plano futuro, mas já causa o sofrimento desmedido.

É importante pensar no futuro, mas sem desgaste. E o passado deve sim ser lembrado, mas devidamente lembrado, sem lamúrias.

A ansiedade pode desencadear a depressão. O descontentamento por viver acarreta o padecimento melancólico, que basicamente deixa o sujeito inapetente em relação à vida.

O excesso de desgaste emocional traz a ansiedade e, por conseguinte, a depressão estarrecedora.

Por isso, a temperança será imprescindível.

Preocupar-se sim, mas sem culpa e excessos. É importante ter tempo: tempo para estar com quem amamos verdadeiramente, assim com a nossa solitude.

É sempre bom fazer algo prazeroso e sem cobranças exaustivas. O tempo é fugaz e não retorna, e a vida é passageira e inconstante.

Procure ajuda!

Não é vergonha nenhuma buscar ajuda!

Reconhecer vulnerabilidades é sinal de coragem e vontade de evoluir.

A sobrecarga emocional, que já provamos que pode desencadear doenças sérias, pode ser minimizada com a ajuda de um psicólogo.

É difícil resolver tudo sozinho, nem devemos, e a terapia só existe para auxiliar no processo.

O profissional, por meio de um trabalho individual, irá investigar as causas da sobrecarga emocional para propor o melhor tratamento.

Muitas vezes as emoções exacerbadas podem ter ligações com passados traumáticos e dores mal resolvidas. Somente um profissional capacitado poderá disponibilizar o melhor caminho a ser seguido.

E então, já pensou em procurar um psicólogo para te ajudar a aliviar a sobrecarga emocional? Experimente aqui, marcando a sua primeira consulta!

Voltar ao topo