Pular para o conteúdo

Você se sente uma fraude? Já ouviu falar da síndrome do impostor?

A síndrome do impostor é caracterizada por uma experiência interna de acreditar que você não é tão competente quanto os outros pensam que você é.

Alguém que sofre desse mal passa a sentir ansiedade constante, pensando que a qualquer momento será descoberto como uma grande fraude, como se a pessoa não pertencesse à posição atual que está ocupando ou que cresceu profissionalmente unicamente por pura sorte.

Se você se sente diante desse “perigo real”, posso dizer com toda certeza que você não está sozinho.

Estima-se que 70% das pessoas também sofrem desse mal.

Exemplos de sinais da síndrome do impostor

É fácil identificar os sintomas de ansiedade em alguém que está sofrendo da síndrome do impostor.

A pessoa duvida a todo momento das próprias capacidades e atribui o sucesso a uma soma de fatores externos.

Ela tem dificuldade para reconhecer suas próprias competências e habilidades, diminuindo conquistas e maximizando derrotas.

A coisa piora quando são definidos objetivos muito desafiadores e a pessoa se sente desapontada com a falha.

O medo de não corresponder às expectativas é amplificado, o que acaba afetando a execução das atividades em diversas situações do dia a dia, além de fazer a pessoa evitar eventos sociais.

Muitas vezes, esse sentimento acaba sabotando que a pessoa progrida na carreira profissional, caso ela não procure ajuda.

Perfis mais comuns

A síndrome do impostor pode ser materializada no perfil das pessoas perfeccionistas, que nunca estão satisfeitas com o resultado dos seus trabalhos, sempre procurando coisas que precisam ser melhoradas.

A preocupação constante poder levar a crises de ansiedade ou mesmo um estado de pânico.

Entretanto, este não é o único perfil.

Tem o “super-herói”, que se sente inadequado e tenta superar esse sentimento trabalhando o máximo possível, inclusive tentando ajudar nas tarefas que são responsabilidades dos outros.

Já o “especialista” nunca está satisfeito com o próprio conhecimento. A todo momento ele sente que não sabe o bastante e precisa aprender cada vez mais. O problema é que pessoas assim nunca colocam em prática o que aprendem.

Por sua vez, os “individualistas” veem o pedido de ajuda como um sinal de fraqueza ou incompetência, e preferem trabalhar sozinhas, mesmo que elas estejam soterradas de tarefas para concluir.

Qualquer um que tenha um (ou vários) desses perfis acaba experimentando uma grande pressão.

O medo de experimentar situações estressantes podem levar o indivíduo à reclusão, o que pode acabar levando a um quadro de ansiedade generalizada, ataques de pânico e, até mesmo, desenvolver uma depressão.

O tratamento para a síndrome do impostor

Para algumas pessoas, a síndrome do impostor até pode impulsionar um sentimento de motivação para se preparar mais ou trabalhar muito para atingir os objetivos.

Porém, por mais que ela alcance suas metas, por mais que ela realize grandes feitos, a pessoa ainda vai sentir uma ansiedade generalizada, tendo o medo de que alguém descubra que ela é uma fraude.

Por isso, buscar o tratamento para essa ansiedade é a melhor opção.

Ao conversar com um psicólogo é possível diminuir a dúvida, o pensamento negativo, o medo ou a autossabotagem em diversas situações.

Porém, para ter sucesso na terapia, é preciso querer superar esses sentimentos e enfrentar crenças limitantes que podem estar profundamente impregnadas na sua mente.

A psicoterapia é recomendada principalmente para aqueles que cresceram em uma família que valoriza as realizações do passado, e que sentem constantemente a pressão para superar os feitos de ancestrais.

O profissional vai te ajudar a trocar esse sentimento de inadequação por um pensamento de gratidão, exaltando todas as suas conquistas, mesmo que elas sejam pequenas.

Você também aprenderá técnicas de relaxamentos para diminuir a preocupação excessiva e sem a necessidade de tomar medicamentos.

Por isso, se você estiver disposto a procurar a ajuda de um psicólogo, entre em contato agora mesmo comigo e comece o processo de superação da síndrome do impostor.

Voltar ao topo