Pular para o conteúdo

Seu corpo diz muito sobre você!

Uma das melhores formas de criar empatia e conexão com as pessoas são a linguagem corporal. Se alguém interpreta erroneamente sua expressão corporal isso pode gerar consequências negativas nas suas relações interpessoais.

Muitas vezes, se a outra pessoa ignorou a sua expressão corporal, você pode sair de uma conversa com a impressão de que não conseguiu se conectar a pessoa.

A linguagem corporal está presente em todos os aspectos da nossa vida. Ela é constituída por gestos, posturas, locais, roupas, expressões faciais, contato visual, voz, entre outras. No entanto, o reconhecimento de algumas delas ocorre apenas de forma inconsciente e inata.

A linguagem corporal no ambiente de trabalho

Vamos imaginar que você, um dos líderes da sua empresa, precisa passar novas instruções para sua equipe. Você pode não ter sucesso se não se expressar de forma adequada.

Se durante o seu discurso você cruza os braços ao falar para sua equipe e diz que precisa de novas ideias sobre algum tópico, que mensagem estará passando aos seus colegas? Muitos da plateia não vão saber responder ou não vão se sentir confortável para expressar suas ideias durante a apresentação.

Isso ocorre, pois, os braços cruzados dizem muito sobre o líder, principalmente, que ele não está aberto para novas ideais. Sendo assim, é extremamente importante prestarmos atenção em nossa expressão corporal e quais mensagens estamos querendo passar.

É de extrema importância analisar o ambiente e a postura que você toma durante algum diálogo. No entanto, nem sempre essa é uma tarefa fácil, pois, um gesto pode ser interpretado de outras formas. Por exemplo, cruzar as pernas, nem sempre quer dizer que a pessoa está fechada à conversa, simplesmente, a pessoa pode estar apenas querendo se sentar de uma forma elegante.

A prática de monitorar as expressões corporais

O trabalho de monitorar as expressões corporais são difícil e requer muita atenção. A análise das expressões do corpo sempre deve ser vista como um grupo de gestos e não apenas um único.

Voltando ao exemplo acima, podemos pensar em fazer algumas mudanças no discurso realizado. O líder precisa refletir sobre algumas questões, como “o discurso está coerente e direto?” ou “o que você está falando é realmente aquilo que você acredita?” Se a resposta para essas perguntas for sim, estamos indo bem.

O discurso nunca deve ser bagunçado, incoerente e principalmente falso, uma vez que seus colegas irão perceber em seu corpo se devem ou não acreditar naquilo.

Mesmo que sua equipe seja obrigada a fazer algo, isso não quer dizer que eles farão acreditando piamente em suas palavras. Sempre é bom lembrar que melhores trabalhos são realizados se as pessoas acreditam naquilo que estão fazendo.

Dessa forma, a linguagem corporal do líder deve ser feita adequadamente para possuir maior aderência ao seu discurso e pedidos. A postura, tom de voz, gesticulação com as mãos, contato visual são partes fundamentais na conexão dos indivíduos.

É interessante notar o quanto, nós mesmo estamos fazendo e interpretando algo de forma errada. Para isso, sempre preste atenção no outro. A expressão corporal é um dos pilares para a construção de relações positivas.

E você, gostou das dicas? Entre em contato. Não esqueça de compartilhar o texto com seus amigos. Até a próxima!

Voltar ao topo