A dependência emocional está cada vez mais comum nos relacionamentos atuais. De maneira geral, ela pode ser vista como a dependência no parceiro em se sentir feliz, tomar decisões e lidar com as situações do dia a dia.

Assim, há uma necessidade do outro em diversos aspectos, diminuindo a individualidade de cada um no relacionamento. Isso acaba impedindo que a pessoa tenha uma relação saudável, trazendo problemas em longo prazo.

Por isso, a dependência emocional se torna algo destrutivo, tanto para o dependente quanto para a pessoa em que essa dependência é depositada. Portanto, conheça os principais sintomas da dependência emocional e veja o que você pode fazer para diminui-los.

Dificuldade para tomar decisões

Um dos sintomas da dependência emocional é a dificuldade para tomar decisões. Assim, você acaba precisando da opinião do outro para te auxiliar na maioria das suas escolhas, mesmo aquelas mais simples. Com isso, a pessoa acaba perdendo a sua autonomia.

Ou seja, para não ter que tomar decisões e lidar com as responsabilidades, a pessoa fica precisando do outro, o tempo todo, para lhe dizer o que e como fazer as coisas. Assim, ela passa a fazer apenas o que o outro manda, sem ter iniciativas próprias.

Para lidar com essa situação, passa a ser interessante perceber essa necessidade da opinião do outro e diferenciar o que é do outro e o que é seu. Assim, será mais fácil tomar decisões relacionadas com aquilo que você realmente deseja, não fazendo apenas o que o outro acredita ser o correto.

A opinião do outro é a mais importante

Em alguns casos, a pessoa pode até mesmo ter a sua própria opinião. Porém, em um confronto de ideias, a opinião do outro passa a ser mais importante do que a da pessoa emocionalmente dependente. Assim, ela passa a acreditar que o outro está correto e ela está errada.

É comum também que a pessoa dependente não confie no que está pensando ou sentindo, acreditando que ela pode estar errada. Isso faz com que seja ainda mais difícil tomar decisões concretas, trazendo muita insegurança.

Por isso, é fundamental desenvolver habilidades sociais e, principalmente, buscar ferramentas para aumentar a autoestima, para que ocorra uma modificação de perspectiva e a pessoa passe a se desenvolver.

Há a necessidade de agradar o outro

Por se sentir insegura e com medo de perder o outro, a pessoa com dependência emocional acaba sentindo que deve fazer de tudo para agradar o outro. Pois, ela acredita que assim o outro não irá abandoná-la. No geral, o medo do abandono acaba trazendo muitas dificuldades para a pessoa.

Por isso, o agradar o outro se torna mais importante do que ter a própria opinião ou ter uma individualidade. Portanto, passa a ser necessário compreender esse medo de perder o outro, para que seja possível lidar com a situação de uma maneira mais saudável.

O medo da rejeição

Além do medo de ser abandonada, a pessoa emocionalmente dependente também sente medo da rejeição. Por isso, ela evita tomar iniciativas, propor novas ideias ou começar algo novo. Assim, ela passa a ser mais passiva, esperando que os outros tomem decisões por ela.

O desenvolvimento pessoal está intimamente ligado à diminuição dos sintomas da dependência emocional, por isso, passa a ser interessante buscar por ferramentas que possam contribuir para esse desenvolvimento, com o intuito de desenvolver habilidades e potencialidades, fazendo com que a dependência, aos poucos, deixe de existir.

E você, está se sentindo dependente emocionalmente do seu parceiro? Precisa de ajuda para ter mais autonomia na sua vida? Entre em contato e marque uma consulta!

Deixe um comentário