Cada vez mais a terapia cognitiva comportamental tem se tornado em uma forma popular de psicoterapia. Seu principal objetivo é enfatizar a importância dos pensamentos para determinar como as pessoas sentem e agem.

Com ela, os psicólogos ajudam os pacientes a descobrir, investigar e mudar seus próprios padrões de pensamento e reações, uma vez que esses são, na verdade, o que causam nossas percepções e determinam nossos comportamentos.

Você pode aprender a acalmar sua mente e reconsiderar se suas crenças, sejam elas racionais ou não, o que o coloca no caminho certo para pensar de forma clara e racional.

No entanto, existem muitos outros benefícios. E é isso que você verá nesse artigo! Vamos lá?

 

Como funciona a terapia cognitiva comportamental?

A terapia cognitiva comportamental enfatiza o papel do pensamento e da autoconsciência nos pensamentos, ações e emoções de uma pessoa. O objetivo é prepará-la para assumir um papel mais ativo, positivo e responsável em sua vida e para responder aos contratempos e desafios de uma maneira saudável e produtiva.

A duração da terapia depende do indivíduo, mas muitos pacientes vão uma vez por semana e encontram alívio em algumas semanas. Geralmente, muitos também sentem que seus problemas estão sob controle em apenas seis meses.

Nesse meio tempo, o psicólogo clínico ajudará a pessoa a identificar problemas, avaliar respostas do passado e desenvolver soluções futuras. Assim, é possível levar o paciente a uma melhor conscientização de pensamentos automáticos distorcidos, que podem estar o impedindo de atingir seu maior potencial.

 

O que são pensamentos automáticos distorcidos?

Ao longo da vida, as pessoas criam mecanismos mentais para comprovar para si mesmo que suas crenças estão corretas. Com o tempo, esses pensamentos distorcidos acabam se tornando automáticos. Alguns exemplos desses pensamentos são:

●  Catastrofismo: “Tudo vai dar errado!”

●  Generalização: “Todo mundo está contra mim!”

●  Precipitação: “Ele não cumprimentou, então ele ficou zangado com o que eu disse!”

●  Leitura de pensamento: “Ele deve estar pensando que sou chato!”

●  Julgamento: “Sou um inútil!”

●  Tudo ou nada: “Faço isso perfeito ou então nem é melhor começar a fazer!”

O objetivo da psicoterapia é identificar a raiz dessas crenças, ressignificando essas memórias e diminuindo o impacto emocional no cotidiano da pessoa. Essa reestruturação cognitiva permite elaborar pensamentos alternativos, flexíveis e saudáveis.

 

Quais os benefícios da terapia?

Existe sempre o risco de que os sentimentos ruins que você associa a um problema retornem, mas, com as habilidades aprendidas durante a terapia cognitiva comportamental, se torna mais fácil controlá-los.

As habilidades que você aprende com a psicoterapia são estratégias úteis e práticas que podem ser incorporadas à vida cotidiana. Elas ajudarão a lidar melhor com tensões e dificuldades futuras. É por

isso que é importante continuar praticando o que foi aprendido mesmo depois de interromper a terapia.

Conforme se sente mais no controle de seus pensamentos, seu sistema de crenças muda, pois você desenvolve mais confiança e autoestima. Isso gera uma série de efeitos positivos, como saber lidar com a perda, gerenciar a raiva, prevenir vícios, superar traumas, resolver problemas de relacionamento e melhorar distúrbios do sono.

Dessa forma, a terapia cognitiva comportamental é benéfica para todos, mesmo aqueles que não tem algum tipo de transtorno mental. Sempre há maneiras de melhorar, sentir-se mais feliz e tratar melhor os outros e a si mesmo. Portanto, faça uma psicoterapia.

E você, ficou interessado em conhecer na prática a terapia cognitiva comportamental? Então, marque agora a sua consulta!

Deixe um comentário