Existem vários elementos que criam conflitos ciumentos. Independente da causa, as consequências do ciúme doentio podem levar ao fim prematuro de um namoro ou casamento.

É claro, às vezes é natural sentir um pouco de ciúme, principalmente se os sentimentos pelo parceiro são muito fortes. O medo ocasional da perda é bom e pode até adicionar um pouco de emoção e entusiasmo ao relacionamento. No entanto, a partir do momento que ele se torna mais frequente, o ciúme precisa ser tratado.

Portanto, se você realmente deseja mudar suas emoções e erradicar o comportamento ciumento, continue a leitura!

Qual a origem do ciúme?

As pessoas normalmente não experimentam ciúmes, a menos que se sintam ameaçadas por outro indivíduo. Como quase todos os outros problemas emocionais e de relacionamento, a experiência passada pode aumentar a probabilidade de uma pessoa desenvolver um ciúme doentio.

Uma criança que presenciou ataques de ciúmes de seus pais ou que já foi traído em um relacionamento, pode desenvolver traços de ansiedade que podem levar ao medo de perder um ente querido.

Entretanto, uma grande parte do problema está dentro do próprio ciumento. A falta de autoconfiança em suas próprias habilidades, a baixa autoestima, o medo de acabar sozinho e a insegurança no relacionamento são os principais motivadores do ciúme.

Quando o ciúme se torna doentio?

O principal sinal que um ciúme se torna extremo é a dependência emocional. O ciumento acha arriscado ficar sozinho, tem medo do desconhecido e acaba se ligando ao outro mesmo que ele ou ela esteja em um relacionamento infeliz.

Com isso, a pessoa com ciúme em excesso quer ter controle total sobre o celular e redes sociais do parceiro, deseja saber a todo momento por onde ele anda ou faz inúmeros questionamentos de maneira a coletar informações sobre possíveis traições.

É ótimo ter um companheiro que se importe com sua vida, mas não é o caso de uma pessoa ciumenta que precisa conhecer todos os detalhes do seu dia a dia porque ela não confia em você.

O ciúme pode fazer com que as pessoas se comportem de uma maneira controladora, o que aos poucos vai corroendo a relação. Comportamentos que envolvem acusações de traição sem provas ou exigir saber seu paradeiro a todo momento precisam ser cortados pela raiz o quanto antes.

Como controlar o ciúme?

A chave para manter as coisas saudáveis é ser capaz de identificar o sentimento e não permitir que ele controle o seu comportamento. Se você está em um relacionamento seguro e sólido, e ainda sente ciúmes, olhe para si mesmo e explore suas próprias demandas emocionais.

Pense nos eventos específicos que fazem você se sentir inseguro. Entender esses sentimentos ajuda a você perceber questões internas não resolvidas do que com a vida atual com a pessoa para quem o ciúme é direcionado.

Dependendo do nível do ciúme, um psicólogo clínico pode lhe auxiliar a gerenciar suas emoções de forma mais saudável. Durante a terapia, o profissional ajudará a você considerar suas próprias inseguranças e encontrar maneiras de bani-las.

Agora, se realmente houver evidências de que seu ciúme ocorre por um motivo válido, é importante tomar uma ação. Se o seu parceiro já te traiu ou continua a trair, é hora de se concentrar no que deve fazer sobre o relacionamento em termos de superá-lo ou mesmo terminá-lo, em vez de apenas querer acabar com o ciúme. Se não há confiança, não motivos para continuar em um relacionamento.

Dessa forma, quanto mais você conseguir controlar os seus sentimentos e compreender as consequências do ciúme doentio — independente do seu parceiro —, mais fácil será para superar o medo da perda e seguir em frente.

E então, está precisando de ajuda psicológica para gerenciar seus sentimentos e diminuir as consequências do ciúme doentio? Entre em contato!