Pular para o conte√ļdo

ūüéó Preven√ß√£o ao suic√≠dio: como o psic√≥logo pode ajudar

Nos √ļltimos anos, as taxas de suic√≠dio t√™m aumentado no Brasil, indo contra a tend√™ncia mundial. Enquanto a taxa mundial caiu 9,8%, no nosso pa√≠s ela aumentou 7%, alerta a Organiza√ß√£o Mundial da Sa√ļde (OMS). O estigma e a falta de acesso aos servi√ßos de sa√ļde mental t√™m dificultado a efic√°cia dos programas de preven√ß√£o ao suic√≠dio.

Por isso, neste artigo, apresento a import√Ęncia dos psic√≥logos para ajudar as pessoas que lutam com pensamentos suicidas todos os dias. Continue para saber mais!

A import√Ęncia de derrubar mitos

O suicídio é evitável e pode ser tratado por um psicólogo. No entanto, muitas pessoas evitam a psicoterapia simplesmente por medo de ser estigmatizado ou ridicularizado, o que acaba levando muitos a atentar contra sua própria vida, sem ao menos procurar ajuda.

Para aqueles que estão precisando de apoio psicológico ou conhece alguém que pode estar em risco, existem vários tratamentos bons e eficazes disponíveis para ajudar pessoas a evitar o pior.

Por mais que o suicídio seja um tópico difícil de discutir, o silêncio pode ter resultados trágicos. O conhecimento pode salvar vidas, portanto, educação e tratamento são as chaves para a prevenção do suicídio.

Os principais sinais de alerta de suicídio

Geralmente, a maioria das pessoas suicidas sofrem de alguma condição, como depressão, ansiedade ou transtorno bipolar. Boa parte delas tem transtornos do humor, abusam do álcool ou têm outro problema de dependência. Quando vários fatores estão presentes, o risco de suicídio aumenta.

Muitas vezes o suicídio é motivado por uma grande perda recente, como morte, divórcio ou qualquer separação traumática. A pessoa enfrenta problemas com sua autoconfiança e autoestima, o que a faz se afastar de amigos, hobbies e outras atividades que ela desfrutava no passado.

O indivíduo passa a falar sobre desaparecer, provocar danos a si mesmo ou morrer. Ele apresenta uma personalidade triste, retraída, irritável, ansiosa, cansada, indecisa e apática. O rendimento na escola ou trabalho caem, além de apresentar mudanças nos hábitos alimentares e de sono.

Existe, ainda uma desesperança quanto ao futuro, acreditando que as coisas nunca mudarão ou melhorarão.

Como o psicólogo pode ajudar na prevenção ao suicídio

Entre os diferentes métodos de prevenção, a Terapia Cognitiva Comportamental (TCC) tem se mostrado eficaz em pacientes suicidas. Se for considerado o risco de suicídio como um problema de déficit de habilidades, é possível focar o tratamento em ajudar as pessoas a desenvolver as habilidades necessárias para permanecerem vivas.

O TCC ajuda o paciente a aprender ferramentas para desenvolver sua capacidade de perceber e rotular suas emo√ß√Ķes, √† medida que s√£o ativadas no estado suicida. O objetivo √© que a pessoa demonstre sua capacidade de se acalmar e sobreviver por conta pr√≥pria. Com isso, ela desenvolve estrat√©gias personalizadas para se manter seguro.

Pensamentos recorrentes de suic√≠dio n√£o s√£o normais. Quando existe o desejo de morrer, √© fundamental que o paciente expresse seus sentimentos. √Č poss√≠vel impedir o suic√≠dio, simplesmente dialogando abertamente sobre os transtornos mentais.

Por isso, ao primeiro sinal, é importante fazer uma visita ao psicólogo clínico. Ele avaliará os riscos, identificará as causas e definirá o melhor tratamento.

Dessa forma, o que pode ser feito com amigos, parentes, colegas de trabalho ou conhecidos que estão com problemas é estender a mão, mostrar que se importa e ajudá-las a obter a ajuda psicológica necessária para permanecerem vivas. Tudo bem buscar ajuda, principalmente, quando o assunto é prevenção ao suicídio!

Se você ou alguém que conhece está precisando de ajuda para a prevenção ao suicídio, entre em contato comigo e agende uma consulta agora mesmo!

Voltar ao topo