Pular para o conteúdo

Por que sentimos ciúmes?

O que significa sentir ciúmes? É difícil racionalizar um sentimento subjetivo. Encontrar uma razão objetiva para o ciúme é uma tarefa árdua, mas vamos pensar juntos.

Os ciúmes advêm do sentimento de posse. Algo como: é meu e me pertence. Quando nos sentimos donos, é natural o zelo. O problema é quando este sentimento tão recorrente se torna desmedido.

Se você procurar um pouco sobre o tema, vai encontrar diversos artigos que explicitam a linha tênue entre os ciúmes normal e o patológico.

Uma dose sutil de ciúmes faz bem ao relacionamento. Porém, o sentimento torna-se uma enfermidade quando começa a interferir negativamente em nossas atividades.

O ciúme pode também ser oriundo de uma sensação latente de inferioridade. Desse modo, frases de comparação são recorrentes. “Ele é mais poderoso, logo, posso perdê-la”. “Ela é mais bonita, acabou para mim”.

Por isso, é essencial trabalhar a autoestima e o autoconhecimento.

Medo do abandono

O ciúme em excesso pode desencadear problemas psicológicos. O medo do abandono é uma carência afetiva que faz o sujeito enxergar no objeto amado a razão de seu viver.

Não é nada saudável depositar a própria felicidade nas mãos dos outros.

Nossa felicidade é encargo nosso, apenas. Ninguém deve carregar este fardo. Quando transferimos para terceiros o nosso júbilo, a frustração tende a ser grande. O medo do abandono é, também, o medo de perder uma parte de si que foi projetada no outro.

O ciúme e o sentimento de posse

O sentimento de posse pode gerar obsessão.

A obsessão surge quando não aceitamos a perda do amado. Sabe a sensação de luto? Então, ela ocorre quando há uma ruptura da relação, mas nem todos aceitam essa condição pacificamente.

O ciúme em excesso pode ser desencadeado por um sentimento de pertencimento. “É meu, e não aceito perder”.

É interessante sintonizar que as pessoas não são nossas. As relações são dinâmicas e mutáveis. As histórias, mesmo profundas, nos ensinam e moldam nossa trajetória, mas não são infindáveis. A demasia do pronome possessivo tem fundamentação narcísica e só causa sofrimento.

Projeção, negação e infância

Quando uma relação se dissolve é comum a negação e o medo de perder o ser amado para sempre para o rival. O rival é comumente dotado de mais beleza e mais poder. Isto é, deste “mix” pode originar, também, a inveja.

Já o ciúme mal resolvido pode ter a sua origem na infância. A competição com o irmão pelo amor da mãe, por exemplo.

Acerca da projeção, uma pessoa desmedidamente ciumenta pode ser infiel. Ela imagina que o outro traia, visto que ela faz isso.

Por fim, entenda que uma dose de ciúmes é normal e compreensível na relação, mas não pode extrapolar limites. O excesso só causará sofrimento e destruirá o relacionamento. Não deixe de buscar ajuda profissional.

E você, está enfrentando problemas para superar os ciúmes? Marque agora sua consulta com um psicólogo e saiba como melhorar a sua autoestima e autoconhecimento.

Voltar ao topo