Pular para o conteúdo

Por que encerrar um relacionamento abusivo?

Relacionamento abusivo. Um termo muito abordado nos últimos anos, mas que ainda gera dúvidas em muitas pessoas, e também dificuldade de o encerrar. Afinal, essa situação pode ser muito difícil para quem a vive.

Em uma realidade em que a violência entre casais ainda é uma constante, a tarefa se torna ainda mais complicada. E essa realidade não escolhe classe social, sexo, idade ou cultura. Pode ocorrer com qualquer pessoa.

Muitas vezes o medo ou a dificuldade de identificar que o relacionamento é abusivo faz com que as vítimas sofram em silêncio, pois sintomas como baixa autoestima ou dependência emocional acabam fazendo com que não se enxergue a situação.

Mesmo que sinais como falta de diálogo, abusos e até a violência de fato ocorram e digam que é hora de encerrar o relacionamento, muitas pessoas permanecem.

Neste artigo vamos abordar mais sobre a importância de encerrar um relacionamento abusivo para a sua saúde mental. Acompanhe!

O que é um relacionamento abusivo?

O relacionamento abusivo pode ser definido como aquele que gera abusos físicos, psicológicos e emocionais para uma pessoa.

Isso ocorre quando uma das partes da relação usa o poder de manipulação para diminuir, humilhar, chantagear e tirar vantagens sobre a outra pessoa, geralmente mais fragilizada. Assim o abuso ocorre em diversas atitudes, como controle de roupas, amizades, ciúmes em excesso, se vitimizar, fazer ameaças e até agressões físicas.

Geralmente o relacionamento abusivo é construído pelas seguintes fases:

Ofensas: aqui o abusador tem crises de ciúmes, ofende, humilha, xinga, grita e faz violência psicológica contra a vítima. Também manipula, pedindo explicações. A vítima tem seu psicológico abalado e por isso têm dificuldades de identificar o abuso.

Violência: nessa fase, a violência psicológica passa a ser física, que inclui agressões como beliscões, empurrões, pontapés, tapas, socos, etc.. As marcas no corpo, como partes roxas, cortes e ossos quebrados são visíveis. Geralmente a vítima ou tenta disfarçar a situação ou decide denunciar o agressor.

Arrependimento: quando o abusador percebe que perde o controle sobre a vítima, se mostra arrependido e busca amenizar a situação, com uma fase romântica e carinhosa para novamente manipular a vítima. Mas que não dura por muito tempo e logo ele retorna aos abusos.

Não necessariamente nesta ordem, mas essas são as fases mais comuns em um relacionamento abusivo.

Terminar um relacionamento abusivo não é fácil

Como já abordado, encerrar um relacionamento abusivo não é simples. É necessário que ele de fato seja identificado e a vítima seja preparada psicologicamente para tomar essa decisão.

Os motivos de uma vítima continuar um relacionamento abusivo são complexos e nem sempre fáceis de responder.

E isso pode incluir a vítima se culpar pela situação e a crença de que a pessoa só consegue ser feliz se estiver em um relacionamento estável. Outros fatores como dependência financeira e se sentir ameaçada também entram na análise.

Mas permanecer nessa situação pode acarretar em uma série de problemas psicológicos para a vítima, como baixa autoestima, medo excessivo, depressão entre outros fatores. E que podem continuar mesmo após o término da relação.

É importante refletir que sustentar esse tipo de relacionamento pode ser prejudicial com o passar do tempo. Se perceber que passa por isso, não hesite em buscar ajuda para sair deste problema.

Portanto, se você está precisando de apoio profissional para terminar um relacionamento abusivo, entre em contato com um psicólogo.

Voltar ao topo