A sociopatia pode ser considerada um problema real hoje em dia. Segundo Martha Stout, psicóloga de Harvard e da autora do livro ‘The Sociopath Next Door’, uma a cada 25 pessoas é sociopata. Em termos simples, trata-se de um transtorno de personalidade antissocial.

Mas como entender do que se trata esse comportamento? É preciso adiantar que a sociopatia não é tão facilmente identificada em uma pessoa. Portanto, é preciso uma análise mais profunda para saber o que é um sociopata.

Neste artigo você entenderá o que é um sociopata, os seus principais sinais, além de como é feito o diagnóstico e tratamento dos pacientes.

O que é um sociopata?

Como já citado, um sociopata apresenta o distúrbio de comportamento de personalidade antissocial. Ou seja, são pessoas que não possuem empatia e não entendem o sentimento do próximo.

Geralmente, os sociopatas agem de forma impulsiva e tomam decisões sem se sentirem culpados, posteriormente, sobre qualquer ato que fazem.

Outras características de comportamento são comuns para saber o que é um sociopata, como:

  • Normas legais e regras sociais são desprezadas;
  • Falta de sentimento de culpa;
  • Não realiza uma autoavaliação e autocrítica;
  • Coloca a culpa em outras pessoas;
  • Não consegue manter relacionamentos;
  • Pouca tolerância e paciência;
  • Desejo de poder e prioridade ao próprio prazer;
  • Nível alto de mentiras e esperteza; 
  • Personalidade essencialmente antissocial.

Como alguém é diagnosticado?

Por apresentar essas características fora do comum, o paciente pode ser diagnosticado como sociopata. Entretanto, apenas um psicólogo ou psiquiatra pode identificar a verdadeira condição.

A sociopatia é um transtorno incluído no Manual de Diagnóstico e Estatística dos Transtornos Mentais (DSM-5). E nem o termo sociopata, na verdade, é usado pelos médicos quando o paciente é diagnosticado. Assim, quando apresenta “traços sociopáticos”, o paciente é classificado como portador do transtorno de personalidade antissocial.

Qual a diferença com um psicopata?

A sociopatia é frequentemente confundida com a psicopatia. Mas, apesar de ambos serem termos aplicados a pessoas com transtorno de personalidade, há diferença entre eles.

O manual de diagnóstico da Organização Mundial da Saúde (CID-10) aplica uma personalidade mais ousada ao psicopata. Portanto, ele não apresenta praticamente inibição, nem estresse ou medo diante situações distintas.

Diferente do sociopata, que pode apresentar, ainda que em nível mínimo, algum tipo de sentimento e consciência de que suas atitudes podem estar erradas. 

Ou seja, tudo que o psicopata faz é de forma mais fria e calculista, e ao contrário do sociopata, este não age por impulso. Suas ações são bem planejadas.

Qual o melhor tratamento

Alguém que é diagnosticado com transtorno de personalidade antissocial tem um distúrbio ao longo da vida e geralmente começa a apresentar sintomas desde a adolescência.

Geralmente, são receitados medicamentos estabilizadores do humor e antidepressivos para o paciente sociopata. Como os distúrbios de personalidade são difíceis e extremamente desgastantes de lidar, a pessoa também precisa ser encaminhado para psicoterapia.

É preciso ressaltar que não há uma cura definitiva para a sociopatia, e o tratamento é receitado para evitar consequências a curto e médio prazo.

Em alguns casos, até mesmo os familiares de um sociopata precisam de um acompanhamento psicológico. Assim, todos podem cuidar de si mesmos, e melhorar a qualidade de vida em casa.

E você, está precisando de apoio profissional para você ou alguém da família com sociopatia? Marque agora mesmo a sua primeira consulta!