Pular para o conteúdo

O que é fobia social?

A fobia social refere-se basicamente a uma doença mental crônica na qual as interações sociais suscitam certa ansiedade irracional. Isto é, a fobia desencadeia uma ansiedade desmedida, que chega a paralisar o sujeito.

A pergunta que costuma surgir é sobre o diagnóstico exato da doença: Como diferenciar a fobia social de uma ansiedade angustiante?

Geralmente, a fobia está acoplada dentro de um contexto de tempo, acontecimentos e receios. É como se fosse um compilado de situações em que o sujeito sente verdadeiro pavor da interação e da relação interpessoal.

Por exemplo, você tem pavor de ir à festas? Não é simplesmente não gostar, é mais sobre um pânico inexplicável que sobrevém e você é incapaz de evitar. Ele transcende o limite do aceitável.

Chamada também de antropofobia, o problema pode ser mais sério do que muita gente pensa.

Vamos à explicação mais detalhada!

Qual o tipo de fobia social existente?

Quais os tipos de fobias? São tantas, provavelmente todo mundo deve conhecer alguma.

Por exemplo, alguns fóbicos tentam destruir nos outros o que está em si mesmo. Muitos especialistas dizem que um homofóbico é, na verdade, um homossexual reprimido.

Agorafobia é o medo de ficar sozinho e/ou em lugares públicos. Não é uma simples timidez, mas sim o terror de estar naquele local.

Acrofobia é o medo desmedido de altura.

Todos nós, em alguma medida, sentimos medo, mas isso não pode extrapolar o razoável.

Portanto, a fobia social também precisa da ajuda de um especialista.

Sintomas da fobia social

O problema traz sintomas somáticos, mas varia de pessoa para pessoa, ou seja, são heterogêneos.

Tremores, sudorese, boca seca, tensão muscular, tontura, são alguns dos sintomas que se manifestam exteriormente.

Na esfera psíquica, o maior medo é de parecer ridículo, de falar o que não deve, de passar vergonha perante outras pessoas.

Comumente, o sujeito tem a plena certeza que é inferior às pessoas, a baixa autoestima é recorrente nestes casos, chamamos também de sintomas cognitivos.

Existem também os comportamentais, que aflora enfermos de expressão limitada, dificuldade e acanhamento para falar, movimentos repetitivos, dentre outros.

Tem cura?

A cura depende do paciente querer cuidar do problema e buscar meios para saná-lo.

O psicólogo clínico poderá ajudar a encontrar a raiz do mal para achar formas de conduzir o paciente a viver melhor. A causa pode ser um evento traumático ou até problemas físicos.

Em primeiro lugar, quem intenta lidar com a fobia social deve evitar pessoas negativas, que não acreditam no problema.

Devem encontrar o melhor de si, buscar atividades que trabalhem a autoestima e o autoconhecimento.

Outro ponto importante é, aos poucos, vencer o medo. Olhá-lo de outra forma, sob uma nova perspectiva. Não é fácil se livrar da fobia social, mas é preciso força de vontade e coragem.

Você precisa de ajuda para superar a fobia social? Experimente marcar uma consulta com um psicólogo!

Voltar ao topo