Pular para o conteúdo

Insegurança na cama

É muito comum ouvir nos pequenos grupos de homens e mulheres a temática sexual: “ser bom na cama”, porém nem todos possuem a habilidade de lidar bem com a pressão de se sair bem na cama.

A pressão social de que o sujeito deve atingir um alto nível em sua performance sexual pode causar grande medo de não atingir as expectativas do outro, como se tivessem que agir sempre como um ator pornô e transar por 8 horas seguidas.

Tal demanda social não é real, assim como outras comparações feitas a respeito de tamanho do pênis, tempo de ereção, quanto tempo o sujeito consegue transar sem chegar ao orgasmo, etc.

A grande maioria destas comparações e histórias são verbalizadas em situações em que o indivíduo quer se reafirmar perante ao grupo, principalmente quando as histórias são fantasiosas, utilizando desses artifícios para sentir-se mais homem. Contudo, essas pressões sociais acabam em chacota e até mesmo em duvidar da sexualidade do indivíduo.

Em diversas situações a consequência disso é apenas reforçar o medo e insegurança dos envolvidos, assim como, criar algumas situações constrangedoras caso exista algum problema, entre eles, a ejaculação precoce.

Muitas vezes, quando o rapaz está envolvido nessa situação ele acaba fingindo que está “tudo bem” para não se expor aos médicos e solicitar ajuda. Lembre-se que não há problema algum em chegar em um profissional da área da saúde e comentar sobre os ocorridos, ao meu ver o problema é negar que ele mesmo existe!

Outro problema que é muito comentado é o ato de “broxar”, ou seja, na hora da relação sexual o homem não conseguir ficar excitado. Isso ocorre em diversas situações e, na maioria dos casos, é ocasionado pelo nervosismo da própria pessoa. Quando isso ocorrer a solução é “dar um tempo, desencanar um pouco, e tentar depois”.

A insegurança sexual, em qualquer contexto, pode afetar o relacionamento sexual com a(s) parceira(s), uma vez que, duvidar de si mesmo levará o outro a também duvidar, tal situação irá gerar muita ansiedade o que fará o sexo tornar-se não prazeroso.

O homem pode e deve se entregar à relação sexual, conversar sobre o assunto com suas parceiras, comentar sobre os seus desejos, realizar fantasias, etc. Isso fará com que o casal se fortaleça e se conheça, além de acabar com as inseguranças e com os tabus existentes até hoje em nossa sociedade.

Vale lembrar que, a relação sexual é composta por, no mínimo, duas pessoas e caso algum envolvido não goste de algo, tais dúvidas devem ser expostas e, se necessário, resolvidas com profissionais adequados, afinal, o sexo se tornará muito mais prazeroso para ambos os lados!

Deixe o perfeccionismo de lado, não é necessário ser um ator pornô para satisfazer a sua mulher, uma vez que para elas existem coisas mais interessantes e, claro, excitantes.

A busca pelo perfeccionismo em tudo e em qualquer situação, se estendendo para muito além do sexo, acabará com a sociedade, como já disse Sigmund Freud “Nós poderíamos ser muito melhores se não quiséssemos ser tão bons”. Assim sendo, curta um pouco mais do sexo com sua parceira.

Quer saber mais sobre outros temas? Leia mais posts no meu blog!

Voltar ao topo