Pular para o conteúdo

Em tempos de amores líquidos, como superar a insegurança?

Os relacionamentos amorosos atuais estão cada vez mais superficiais e passageiros, fazendo com que as pessoas tenham cada vez menos chance de solucionar as dificuldades que enfrentam dentro de uma relação. Assim, no primeiro desentendimento, a relação chega ao fim e ambos os lados seguem em frente. Não há tempo para o relacionamento amadurecer.

Essa fragilidade das relações modernas acaba gerando uma série de problemas, entre eles, tem tornado as pessoas mais inseguras. Para aprendermos como superar essa insegurança, vamos falar um pouco sobre o tempo que vivemos, o tempo dos amores líquidos. Acompanhe, abaixo!

Amores líquidos

Para o sociólogo polonês Zygmunt Bauman “a modernidade líquida em que vivemos traz consigo uma misteriosa fragilidade dos laços humanos, um amor líquido. A insegurança inspirada por essa condição estimula desejos conflitantes de estreitar esses laços e ao mesmo tempo mantê-los frouxos”.

Ou seja, com a facilidade que temos hoje de iniciar e acabar com uma relação, perde-se o desejo de superar os desafios e de criar intimidade com o parceiro. A superficialidade das relações gerou um conjunto de laços e indivíduos “descartáveis”. O pensamento atual é que se algo não está bom então é preciso descartar (ou desapegar).

Porém, com a mesma facilidade com que descartamos o outro, nós também podemos ter medo de sermos descartados. Ou seja, lidar com diversas pessoas descartáveis nos tornam, da mesma maneira, descartáveis. E é justamente isso que Bauman chama de “amor líquido”.

Assim, o amor se torna líquido porque ele pode ser facilmente encerrado, trocado, jogado fora. E isso acaba gerando um grande medo e dificuldade para criarmos laços com os outros, pois, podemos ser descartados a qualquer momento.

Afinal, você não vai querer investir em uma relação que pode acabar de uma hora para outra. Tudo isso pode gerar insegurança e trazer diversos problemas para o relacionamento, como os ciúmes excessivo, por exemplo.

É importante a****prender que você é autossuficiente

Superar a insegurança significa aprender que você não precisa do outro para ser feliz. Muito pelo contrário. Você precisa aprender a ser feliz por conta própria, para então conseguir ser feliz com o outro.

Por isso, quando você aprende que pode ser autossuficiente e que o outro irá apenas somar na sua vida, sem criar um laço de dependência, você percebe que não há porque ter insegurança, afinal, com ou sem o outro você irá se sentir bem.

Evite a dependência emocional

A insegurança está intimamente ligada com a dependência emocional. Ela ocorre quando você depende emocionalmente do outro para ter prazer na vida. Assim, sem o outro você não se sente completo.

Essa dependência pode ser completamente destrutiva para as pessoas e causar cada vez mais insegurança. Portanto, para evitar problemas, tente perceber se você realmente está dependente emocionalmente do outro ou não.

Compreenda a sua insegurança

Tente compreender os motivos de você sentir insegurança. Assim, passa a ser mais fácil saber como superá-la.

Para isso, coloque no papel todas as situações que lhe trazem sentimento de insegurança. Avalie, em cada situação, se você realmente tem motivos para se sentir inseguro e o que poderia acontecer de pior se você enfrentar esses medos.

O resultado disso é que você perceberá que muitos dos seus medos não são reais, e que outros são muito menores do que você sente.

Portanto, compreender os amores líquidos e perceber como ele pode influenciar na sua dependência emocional, você acaba encontrando mecanismos para superar a insegurança e lidar melhor com as suas relações, fazendo com que elas sejam mais saudáveis e duradouras. Com o tempo, você aprenderá a não depender do outro, tendo uma maior autoestima e uma maior qualidade de vida e de relacionamentos.

E então, concorda com a visão do sociólogo Zygmunt Bauman? Você está se sentindo inseguro em seu relacionamento? Acredita que está dependente emocionalmente do seu parceiro? Deixe sua mensagem nos comentários ou entre em contato comigo!

Voltar ao topo