A inteligência emocional pode ser definida como a capacidade de compreender, gerenciar e expressar os próprios sentimentos, bem como se envolver com as outras pessoas.

Ela é essencial na formação, desenvolvimento, manutenção e aprimoramento das relações pessoais. Ao contrário do Quociente de Inteligência (QI), que não muda significativamente ao longo da vida, a inteligência emocional pode evoluir e aumentar a partir do desejo da pessoa de aprender e crescer.

De certa forma, a inteligência emocional de uma pessoa pode ser mais importante do que o próprio QI. A estabilidade emocional tem o potencial para promover o sucesso, a qualidade nos relacionamentos e a felicidade geral.

Por isso, se você busca desenvolver sua inteligência emocional, continue lendo este artigo! Vamos lá?

 

As habilidades da inteligência emocional

 

A inteligência emocional — e a prática de utilizá-la — pode ajudá-lo de muitas maneiras, desde a cuidar de sua própria saúde física, mental e bem-estar, até a capacidade de inspirar e liderar.

Com ela, você tem a oportunidade de entender suas próprias emoções e também as de outras pessoas. Com isso, é possível ter relacionamentos mais eficazes e felizes, além de funcionar como um escudo quando se trata de resolução de conflitos. Por isso, é, de muitas maneiras, o condutor para o sucesso pessoal e profissional.

 

De forma geral, a inteligência emocional engloba 5 principais habilidades:

 

  • Autoconsciência: O conhecimento que a pessoa tem sobre ela mesma, sendo capaz de reconhecer e compreender seus comportamentos e emoções.
  • Autogerenciamento: A capacidade de estar no controle das emoções e, portanto, de suas respostas a elas.
  • Automotivação: Os recursos para executar, agir e alcançar os próprios objetivos.
  • Empatia: A capacidade de entender e se colocar no lugar do outro, entendendo suas emoções e relacionando-se de maneira eficaz.
  • Relacional: A prática de construir relacionamentos, liderar pessoas e trabalhar com equipes diversas.

 

As formas para desenvolver a inteligência emocional

 

Felizmente, a inteligência emocional pode ser aprendida. Nunca é tarde demais para aprender, basta observar e praticar continuamente. Portanto, não importa quantos anos têm, você ainda pode desenvolvê-la e tornar o resto de sua vida melhor e mais feliz.

Aqui estão algumas maneiras de desenvolver sua inteligência emocional.

 

Gerencie suas emoções negativas

 

A partir do momento que conseguir reduzir suas emoções negativas, é menos provável que você fique triste ou irritado com tanta facilidade, o que poderia afetar o seu julgamento. Para mudar a maneira como se sente sobre uma situação negativa, você deve, primeiro, mudar a forma como pensa sobre ela. Permita-se olhar a situação de diferentes formas.

As pessoas fazem o que fazem por causa delas mais do que por sua causa. Por isso, ampliar essa perspectiva pode reduzir a chance de mal-entendidos.

Quando você se sentir mal com o comportamento de alguém, evite fazer uma conclusão negativa imediatamente. Em vez disso, tente pensar em várias maneiras de ver a situação antes de reagir ou chegar a qualquer conclusão precipitada.

Por exemplo, você pode ficar tentado a pensar que seu parceiro não retornou a sua ligação porque ela está te ignorando. Você pode considerar a possibilidade que ele está apenas muito ocupado ou que o celular dele ficou sem bateria.

 

Pratique a resiliência

 

Todo mundo enfrenta desafios diariamente. O modo como você reage a esses desafios é o que coloca você no caminho do sucesso ou do fracasso. Por isso, quando estiver sob pressão, a coisa mais importante a ter em mente é continuar calmo.

Manter o pensamento positivo irá levá-lo longe. Pessoas resilientes tendem a manter uma visão mais positiva e lidar com o estresse de forma mais eficaz. Para ajudar a se recuperar da adversidade, pratique o otimismo em vez de reclamar.

Se você se sentir nervoso e ansioso, lave o rosto com água fria e tome um pouco de ar fresco para se acalmar, tire 2 minutos para você. Se você se sentir com medo, deprimido ou desencorajado, tente exercícios aeróbicos. Energize-se. O modo como você usa o corpo afeta muito a maneira como se sente.

 

Identifique seus agentes estressores

 

Faça um balanço das coisas que tiram você do sério e seja proativo para ter menos agentes estressores em sua vida. Por exemplo, se você sabe que checar seu e-mail antes de ir para a cama o deixará estressado, deixe-o para ver pela manhã. Melhor ainda, deixe para quando chegar ao escritório.

Aprender a dizer “não” para as solicitações adicionais ou sem importância ajudará a reduzir seu nível de estresse e também poderá ajudá-lo a desenvolver mais a autoestima.

Evite também, ou, pelo menos, reduza, o consumo de nicotina e bebidas que contenham cafeína e álcool. Essas substâncias são estimulantes e, assim, aumentam o seu nível de estresse, em vez de reduzi-lo.

Além disso, quando enfrentar um problema inevitável, aprenda a encontrar soluções que o ajude a se sentir mais no controle da situação. Uma técnica envolve anotar o problema e criar o máximo de soluções possíveis.

Decida os pontos bons e ruins de cada um e selecione a melhor solução. Anote cada passo que você precisa dar como parte da solução, como o que será feito, como será feito, quando será feito, quem está envolvido e onde será realizado.

 

Seja mais empático

 

A empatia é simplesmente reconhecer emoções nos outros e ser capaz de “se colocar no lugar de outra pessoa”, ou seja, entender a perspectiva e a realidade de outro indivíduo.

Para ser empático, você precisa pensar além de si mesmo e de suas próprias preocupações. Uma vez que você veja além do seu próprio mundo, perceberá que há muito para descobrir e apreciar!

Lembre-se de que todos têm seus próprios problemas. Cada pessoa teve uma formação diferente da sua, o que a levou a enfrentar traumas e adquirir crenças limitantes. O que você considera como uma verdade, pode não fazer sentido para outra pessoa.

Centrar-se em pistas verbais e não verbais pode lhe dar uma visão inestimável dos sentimentos de seus colegas, amigos e familiares. Pratique o foco nos outros e se coloque na posição deles, mesmo que apenas por um momento. Com isso, muitos conflitos são evitados.

 

Procure um psicólogo

 

A psicoterapia é bastante útil quando uma pessoa deseja entender melhor e desenvolver ainda mais a inteligência emocional. Com a ajuda de um psicólogo clínico, uma pessoa pode melhorar sua capacidade de reconhecer e entender suas próprias emoções.

À medida que se torna mais conscientes de seus sentimentos, você pode praticar respondendo a essas emoções de forma produtiva. Por exemplo, em vez de atacar quando estão com raiva, é possível identificar sua frustração à medida que ela cresce e tomar medidas para se acalmar antes de falar.

A autoconsciência pode desempenhar um papel importante na inteligência emocional. Se você não está em contato com suas próprias emoções e não sabe como administrar seus sentimentos a terapia pode ser uma oportunidade para aprender essas habilidades.

 

E então, está pronto para desenvolver a sua inteligência emocional? Marque sua consulta com um psicólogo e conquiste uma vida mais feliz

Deixe um comentário