Decidir que você está pronto para parar de fumar é apenas parte da batalha. Cada sucesso traz consigo uma nova dificuldade, e cada marco alcançado — uma semana sem acender, um mês, um ano — traz uma alegria incalculável para você e sua família. No final, a decisão de desistir deve ser sua, mas a jornada não precisa ser feita sozinha.

Embora a maioria das pessoas tente parar de fumar por conta própria — sem apoio externo —, esse não é o método mais bem-sucedido. Muitas vezes, o indivíduo troca o hábito ruim por outro.

Neste artigo, você vai descobrir como um psicólogo clínico pode ajudar a acabar com o hábito do fumo. Vamos lá?

O problema do tabagismo

A maioria das pessoas está ciente dos inúmeros riscos à saúde que surgem do cigarro e, no entanto, o uso do tabaco, assim como outras drogas, continua sendo a principal causa de morte e doença evitáveis.

O hábito de fumar aumenta o risco de doenças pulmonares debilitantes a longo prazo, como enfisema e bronquite crônica. Ele também eleva o risco de ataque cardíaco, derrame, doenças dos vasos sanguíneos e oculares.

O vício em cigarros pode começar quando o indivíduo se sente psicologicamente vazio dentro de si e quer uma maneira de se sentir aceito pelo mundo ao seu redor. Por exemplo, adolescentes que viram adultos fumando acreditarão que, se começarem a fumar, também parecerão poderosos e fascinantes.

Os cigarros oferecem conforto, entretenimento e companhia. No entanto, uma vez que a nicotina entra em seu corpo, ela o escraviza por uma necessidade contínua. Ninguém gosta de fumar, embora muitos fumantes tendem a dizer que sim, simplesmente porque são viciados.

A identificação de gatilhos

Uma das melhores coisas que você pode fazer para deixar de fumar é identificar as coisas que fazem você querer fumar, incluindo situações, atividades, sentimentos e pessoas específicas.

Muitas pessoas fumam quando bebem. Outras quando amigos, familiares e colegas de trabalho acendem um cigarro. Para outros, terminar uma refeição significa acender, e a perspectiva de evitar o hábito pode parecer assustador.

A partir do momento que você identifica esses gatilhos fica mais fácil parar de fumar. Entretanto, você provavelmente experimentará vários sintomas físicos à medida que seu corpo se acostuma com a falta da nicotina. É aí que entra a necessidade de um aconselhamento profissional.

A ajuda de um psicólogo para parar de fumar

Os desejos físicos e emocionais por um cigarro tornam o vício uma problemática, especialmente entre aqueles com baixos níveis de recompensa em suas vidas. Por isso, em um primeiro momento, o psicólogo avalia a rotina de fumar do paciente, o que inclui uma avaliação do histórico pessoal e familiar, identificando gatilhos para o fumo.

A partir daí, o psicólogo clínico pode realizar diversas intervenções comportamentais, facilitando a tomada de decisões, o estabelecimento de metas, a manutenção da motivação, o aprimoramento da autoeficácia e outros trabalhos específicos para encerrar com o vício.

O psicólogo pode, ainda, recomendar dicas práticas e de solução de problemas que ajudam o fumante a reconhecer situações de perigo, em termos de eventos, sentimentos ou atividades que aumentam o risco de recaída, desenvolvendo assim habilidades de enfrentamento para lidar com o desejo do cigarro.

Parar de fumar é uma decisão muito difícil para várias pessoas, mas não impossível. Com paciência, força de vontade constante e ajuda profissional é possível ficar livre dos cigarros e manter uma vida mais saudável tanto no ponto de vista físico quanto mental.

E você, está precisando de ajuda psicológica para parar de fumar? Entre em contato e marque uma consulta comigo agora mesmo!