Muitas pessoas experimentam alguma tensão quando estão em lugares altos. Na verdade, é perfeitamente normal e compreensível ter medo de altura. No entanto, alguém que tem acrofobia pode entrar em pânico ao estar em alturas relativamente baixas ou que não representem nenhum perigo.

O medo pode ser desencadeado por algo tão simples como estar em uma escada rolante ou olhar pela janela a partir de um piso acima do nível do solo. A acrofobia pode se tornar bastante debilitante para o doente e ter um impacto negativo na vida cotidiana.

Por isso, se você sofre com esse mal, continue lendo para saber mais sobre acrofobia e como superá-la.

Quando o medo de altura é uma fobia?

A acrofobia é considerada uma das fobias mais comuns. O medo de altura pode provocar ansiedade até mesmo em pensar em atravessar uma ponte ou ver uma fotografia de uma montanha. Geralmente, esse sofrimento é forte o suficiente para afetar a vida diária do indivíduo.

Entre os principais sintomas físicos estão tonturas, náuseas, sudorese, respiração rápida, aumento da frequência cardíaca, tremores, entre outros. Eles surgem quando a pessoa vê ou pensa em lugares altos. Já os sintomas psicológicos incluem extrema ansiedade, sensação de pânico e preocupação excessiva de cair.

Normalmente, a fobia surge a partir de uma experiência traumática, como cair de um lugar alto, ver alguém caindo ou experimentar um ataque de pânico enquanto estava em uma altura elevada.

É provável que alguém desenvolva a acrofobia se outra pessoa da família também tiver a fobia ou se foi ensinado desde pequeno a ter medo de altura.

Como é feito o diagnóstico?

Qualquer fobia, incluindo o medo de altura, só pode ser diagnosticada por um profissional de saúde mental. Um psicólogo clínico pedirá que o paciente descreva detalhadamente o que acontece quando ele se depara com alturas elevadas, para determinar a origem do medo e oferecer o melhor tratamento.

Algumas fobias nem requer um tratamento. Basta que o indivíduo evite o objeto temido que tudo ficará bem. No entanto, o medo de altura pode impactar diretamente no dia a dia da pessoa.

O fóbico pode evitar visitar um amigo que mora no último andar de um edifício, viajar de avião ou simplesmente subir em escada rolante de um shopping. Por isso, nesses casos, uma psicoterapia não é apenas indicada, mas como se torna essencial para que o paciente tenha melhor qualidade de vida.

Como é feito o tratamento?

Se você luta contra o medo de altura, a ponto de dificultar a sua vida diária, não se preocupe, é possível vencê-la!

A acrofobia é frequentemente desencadeada em situações que não são racionais. Portanto, durante a psicoterapia, o psicólogo ajudará a pessoa a considerar as situações que desencadeiam seu medo de altura e racionalizá-las.

Em vez de pular direto para uma situação estressante, o psicólogo ajudará você a enfrentar o seu medo no seu próprio ritmo. Ele definirá alguns objetivos iniciais pequenos, como ficar em pé em cima de uma cadeira ou dar um pequeno passo mais perto da grade de uma varanda. Trabalhando gradualmente, o sucesso será seu mais rápido do que se imagina.

Além disso, o profissional ensinará técnicas de relaxamento que ajudam a minimizar os sintomas de medo, bem como controlá-los. Os exercícios de respiração profunda são uma das técnicas mais simples de praticar e podem realmente ajudar a fazer o fóbico se sentir mais relaxado diante de um ataque de pânico.

Dessa forma, o medo de altura pode ter um enorme impacto em sua vida, mas não é algo que se precisa aceitar. Procurando ajuda especializada é possível superar o medo de altura definitivamente.

E então, está pronto para superar o seu medo de altura? Marque agora uma consulta com um psicólogo.