A maioria das pessoas não gosta da ideia de imaginar seu parceiro afetivo com um ex, por exemplo. O problema ocorre quando a pessoa passa a vasculhar o passado do outro, em um ato que se torna obsessivo, o que acaba por gerar sofrimento, paranoia e insegurança. Essa obsessão é chamada de ciúme retroativo.

De forma geral, o ciúme retroativo envolve pensamentos e imagens mentais intrusivos e indesejados, além de respostas emocionais negativas a respeito do passado do parceiro. Quando o ciúme se torna um tema comum no relacionamento ou gera comportamentos controladores e manipuladores, ele é tóxico.

Por isso, neste artigo, apresento como superar o passado do seu parceiro e encontrar a paz de espírito.

O que é ciúme retroativo?

Tanto para homens quanto para mulheres, o ciúme retroativo está ligado a uma série de fatores, incluindo desequilíbrios hormonais no cérebro, lembranças de traição do passado, simples medo do desconhecido ou a insegurança potencializada pelo ciúme.

O ciúme, geralmente infundado e irracional, se baseia no sentido de que seu parceiro poderia, teoricamente, se apaixonar por aquele belo colega de trabalho ou ter um caso com uma garota aleatória que conheceu na rua.

Já o ciúme retroativo é uma condição na qual as pessoas se sentem com ciúmes, irritadas e aborrecidas com aqueles que seu parceiro já namorou ou teve relações sexuais no passado.

O ciúme retroativo pode ser uma forma de transtorno obsessivo-compulsivo. Se você sofre de ciúme retroativo, provavelmente compilou uma vasta coleção de detalhes sobre o passado de seu parceiro. O passado dele, de repente, se torna o seu presente.

É fácil se prender a alguns detalhes triviais e pintar uma imagem extremamente vívida em torno do que ele fez no passado. É comum adicionar detalhes e transformar eventos insignificantes em cenários completos na mente.

Indivíduos que sofrem de ciúme retroativo tendem a perguntar ao seu parceiro uma série de questões sobre seu passado, repetindo os mesmos pensamentos ciumentos e “filmes mentais” em sua cabeça repetidamente.

Pensar demais sobre isso, em vez de tomar as providências necessárias para deixar o ciúme para trás, pode gerar não apenas sofrimento para o ciumento quanto para o parceiro.

Como ele pode ser tóxico em um relacionamento?

O ciúme retroativo pode vir na forma da pessoa não conseguir conciliar o fato de que seu parceiro teve mais parceiros sexuais do que ela, ou constantemente imaginá-lo com amores passados, questionando se eles eram melhores.

Esses pensamentos são repetitivos e sabotarão a lógica da pessoa. Ela se torna obcecada e incapaz de parar de pensar nisso. Esse comportamento funciona como uma autoflagelação, onde a pessoa precisa conhecer os detalhes dos encontros sexuais ou amores anteriores do parceiro.

O problema do ciúme retroativo é que ele é sempre um reflexo de si mesmo e não do parceiro. Isso acaba por gerar comportamentos tóxicos, como o namorado que exige que sua namorada envie uma mensagem para ele a cada hora, quando ela está em uma noite fora. A esposa que secretamente segue seu marido onde quer que ele vá. O marido que bisbilhota o telefone da parceira, e assim por diante. Tal comportamento pode minar um relacionamento.

É claro, se o ciúme é baseado em fatos — digamos que o parceiro realmente prefere seu ex-namorado — então o que você está fazendo permanecendo nesse relacionamento? Por que você escolheria alguém que não escolhe você?

Qual a importância de superar o ciúme retroativo?

Viver com alguém que tem ciúme retroativo é como estar constantemente sob cerco. A pessoa é questionada o tempo todo, até o ponto em que ela acredita que foi promíscua. Porém, também não é fácil para a pessoa que sofre. Ela vive constantemente sob a ameaça de que será trocada por uma parceira mais experiente.

Por isso, reconhecer o ciúme é o primeiro passo para gerar um relacionamento saudável. Mudar é o próximo. Se você acha difícil superar esse sentimento, trabalhe em sua própria autoconfiança e estima.

No coração do ciúme retroativo está a ideia de não ser bom o suficiente. Pense sobre o que você não gosta em si mesmo e tome medidas para trabalhar nelas. A ajuda profissional sempre será melhor em situações como essa, portanto, se puder, consulte um psicólogo clínico.

Um relacionamento saudável e amoroso pode suportar muitos desafios, mas todos têm seu limite. E se você está agindo distante, chateado, fazendo muitas perguntas, vasculhando redes sociais ou punindo seu parceiro pelo passado dele, você vai apenas acabar afastando-o para sempre.

Dessa forma, se você se preocupa com seu parceiro e deseja manter um relacionamento saudável, você precisa tomar medidas para confrontar e superar o ciúme retroativo, antes que seja tarde demais.

E então, quer superar agora mesmo o ciúme retroativo? Entre em contato e marque uma consulta com um psicólogo!

Deixe um comentário