O transtorno alimentar está relacionado com dificuldades com a comida e o ato de comer, com o peso ou com a própria imagem corporal, alterando o comportamento da pessoa. Eles são de cunho psicológico e podem fazer com que o indivíduo deixe de comer, coma exageradamente ou sinta-se culpado ao comer e tente eliminar essa comida de alguma maneira.

Dentre os principais tipos de transtorno alimentar estão à anorexia nervosa e a bulimia nervosa. Eles são desencadeados por uma série de fatores associados a outras doenças como a depressão ou a ansiedade.

Trata-se, portanto, de um transtorno sério, que exige diagnóstico clínico e diversos tratamentos. Por isso, é fundamental compreender quais são esses transtornos, como identificá-los e qual é a melhor tratamento para ele.

Conhecendo o transtorno alimentar

Como já foi mencionado, os principais tipos de transtorno alimentar são a anorexia nervosa e a bulimia nervosa.

A anorexia é o transtorno relacionado com a distorção da própria imagem corporal. Ou seja, a pessoa passa a se perceber com mais peso do que realmente tem ou se perceber muito magra (quando está acima do peso). Com isso, surge uma grande preocupação em relação ao peso, a imagem e a beleza.

Nesses casos, a pessoa se olha no espelho e não consegue se perceber como realmente é. Por isso, começa a ter comportamentos para tentar modificar a sua própria imagem corporal, seja comendo demasiadamente (para engordar, pois se percebe muito magra) ou deixando de comer, por se perceber muito acima do peso.

Existem casos em que a pessoa está muito abaixo do peso, mas se percebe como se estivesse acima do peso, com isso, muda o seu comportamento e evita comer ou tenta eliminar a comida de diversas maneiras.

Já a bulimia é um transtorno alimentar que se caracteriza por episódios recorrentes de compulsão alimentar, seguidos de comportamentos compensatórios para impedir o aumento da massa corporal.

Nesses casos, a pessoa sente muita vontade de comer, come demasiadamente e em seguida pode provocar vômitos voluntários, ingerir laxantes, diuréticos e outros medicamentos. Além disso, pode provocar também jejuns prolongados ou exercitar-se demasiadamente.

Como identificar o transtorno alimentar

De maneira geral, o transtorno alimentar tem maior incidência nas mulheres, principalmente na fase de adolescência. Por isso, é fundamental ficar atento a alguns comportamentos de risco.

Quando a pessoa demonstra uma preocupação excessiva em relação ao próprio peso, uma insatisfação em relação ao próprio corpo, isso poderá servir de alerta. Mas, além disso, é fundamental perceber alguns comportamentos.

Por exemplo, episódios de compulsão alimentar, em que a pessoa come muito e depois passa muito tempo sem se alimentar adequadamente, pode demonstrar que algo está ocorrendo. Outros comportamentos compensatórios também devem ser analisados, como a pessoa que faz muitos exercícios para emagrecer ou que passa muito tempo no banheiro após as refeições.

Compreender como a pessoa se percebe e como ela está se comportamento é muito útil para identificar o transtorno alimentar. Após essa identificação, passa a ser necessário buscar o tratamento correto.

O tratamento adequado para o transtorno alimentar

O transtorno alimentar pode trazer muitas consequências negativas para a saúde da pessoa, por isso é fundamental buscar o tratamento o quanto antes. De maneira geral, o tratamento envolve várias especialidades.

No geral, o acompanhamento é feito pelo médico, psicólogo e nutricionista. Em alguns casos será necessário também utilizar medicamentos.

Por ser um transtorno psicológico, é recomendado que o acompanhamento com psicólogo seja intenso, tanto na fase de identificação do transtorno quanto no tratamento com psicoterapia. Por isso, esse é um profissional essencial nesse tipo de situação.

O transtorno alimentar está cada vez mais presente na atualidade, fazendo com que seja muito importante aprender a identificá-lo e compreender quais são os profissionais corretos para auxiliar no tratamento. Somente assim será possível lidar de uma forma saudável com esse tipo de patologia.

E você, tem sofrido com algum tipo de transtorno alimentar? Precisa de ajuda para superar esse comportamento. Marque sua consulta agora mesmo e tenha mais qualidade de vida.