Pular para o conteúdo

Como as redes sociais podem te deixar mais ansioso

É indiscutível, o mundo contemporâneo é o mundo das redes sociais. Mas será que essa acessibilidade indiscriminada propiciada pelo mundo virtual não pode desencadear danos? Pode sim!

As mídias sociais desempenham um papel importante no que tange à informação rápida, comunicação plural, aprendizado, entretenimento, dentre outras coisas.

Contudo, ficar enfurnado na internet sem impor limites não será nada benéfico à saúde mental. Assim como qualquer outro vício, a internet também te aprisiona, te entristece e distorce sua visão acerca da realidade.

E essa prisão, não diferente de outras, é estarrecedora e traz múltiplos malefícios como a ansiedade, por exemplo.

Já imaginou ficar preso no Instagram fazendo comparativos? Achando que sua vida é inferior ao estilo daquele influenciador que você segue minuciosamente? Pois bem, devemos estabelecer um equilíbrio em tudo o que fazemos e consumimos.

A pandemia intensificou o acesso às redes sociais

Com a pandemia do coronavírus e a recomendação de distanciamento social, as redes sociais foram alternativas assertivas para minimizar a sensação de solidão e ainda trazer uma distração prazerosa. Mas, como nem tudo são flores, é muito difícil para nós encontrar o caminho do meio, que incentiva a prática de não-extremismo.

O vício nas plataformas de comunicação aumentou nos últimos anos. A falta de limite pode causar problemas como ansiedade, visto que as redes também corroboram nossa insegurança e sensação de fracasso.

Como já foi descrito, comparar vidas é um caminho certeiro para o estresse e tristeza. Além disso, nem tudo que está explicitado no Facebook, Instagram ou qualquer outra rede social é verdadeiro.

Será que estou viciado?

Existe uma linha tênue entre o consumo consciente e o vício.

É claro, cada caso deve ser visto com a individualidade e complexidade que lhe cabe. Todavia, quando a internet começa a afetar suas atividades rotineiras já merece uma atenção.

Por exemplo, já ouviu falar em vício em pornografia? Então, masturbar não faz mal, mas o excesso da prática sim. Se você deixa de trabalhar para se masturbar isso já virou um problema. O vício é isso. Você passa a negligenciar suas tarefas em função daquela obsessão.

Como estabelecer limites?

O limite é o equilíbrio. Evidentemente que não queremos nos fazer mal, porém algumas condutas tomam conta de nós, isto é, será preciso pedir ajuda. Mas algumas atitudes simples já serão eficazes. Diminuir a quantidade de tempo na internet é uma delas. Procure se ocupar com outras coisas.

Use as redes sociais a seu favor e não deixe ela apoderar-se de você.

Siga perfis que acrescentam algo e não se esqueça que idealizamos coisas que podem não ser reais. Todos temos percalços e deleites. As redes sociais podem te deixar mais ansioso se você não souber usá-la com autodomínio. Quando encontramos esse equilíbrio conseguimos extrair o melhor que a internet pode lhe proporcionar.

Agora, se você acredita que está sofrendo de um vício de redes sociais é hora de procurar ajuda profissional. Que tal marcar uma consulta com um psicólogo?

Voltar ao topo