Pular para o conteúdo

Autossabotagem: como identificar e evitá-la?

Você pratica a autossabotagem? A resposta pode ser sim ou não. Porém, inconscientemente podemos praticá-la por puro medo.

Explico: o receio ativa alguns mecanismos de defesa - denominação dada por Freud para explicar as manifestações do ego - em nosso corpo. O medo do novo, por exemplo, pode nos deixar estagnados e sem reação.

É aí que entra a autossabotagem. Ter medo é inerente a quase todos os seres humanos, mas fazer dele uma regra é uma forma de massacrar a si mesmo.

As mudanças nos provam que os acontecimentos são efêmeros e a vida deve ter movimento. Portanto, não deixe de adentrar um novo caminho temendo represálias ou por um apego demasiado ao passado.

Sabotar a si mesmo pode ter uma origem inconsciente. Isto é, oriunda de alguns acontecimentos traumáticos na infância do sujeito.

Uma criança muito reprimida, que recalca os sentimentos, pode reproduzir um adulto extremamente tímido e inerte. Não trabalhar a autoestima desde a tenra idade acarretará reflexos no futuro.

Concretize seus projetos!

Faça de seus projetos planos concretos e não uma ideia sempre para o ano que vem, mas sem cobranças.

Chega de postergar uma decisão que deve ser tomada hoje.

Se for para terminar uma relação já exaurida faça isso de uma vez por todas. Mas se achar viável dar mais uma chance ao parceiro, converse com ele e estabeleça isso. O que não pode é ficar eternamente na zona de conforto.

Não se cobre por coisas que não deram certo.

Nem sempre saímos de uma situação com um desfecho exitoso, e está tudo bem. As adversidades, assim como o fracasso, fazem parte do nosso cotidiano.

Viver só de certezas é não arriscar, e quem não arrisca não muda. Além do mais, o desacerto ensina e humaniza.

A autossabotagem é oriunda do medo

A autossabotagem é oriunda do medo desmedido. Ter medo é inevitável, mas é preciso ser dono dele e não o contrário.

Sabotar a si mesmo é deixar o piloto automático tomar as rédeas que deveriam ser suas.

Nós conduzimos nossas ações e, nesse sentido, devemos escolher traçar os caminhos mais favoráveis.

Evite a procrastinação, falta de foco e pare de culpar o outro

Chega de sempre deixar tudo para amanhã! Não será preciso mencionar, reiteradas vezes, que retardar projetos só prejudicará suas conquistas.

Mas não se esqueça que a cobrança excessiva faz mal à saúde mental. O ideal é estabelecer equilíbrio e buscar evoluir sempre, evolução é um processo inesgotável.

Outra coisa que compõe a lista de sabotagem é a falta de foco. Direcionar para todos os alvos pra quê?

Isto só fará você errar todos. O estoicismo nos ensinou que é preciso gastar energia com as nossas habilidades para evitar frustrações. Aprender uma coisa nova, sim, mas não começar várias coisas, perder o interesse e não terminar nenhuma.

A autossabotagem é, também, culpabilizar sempre o outro. Nós somos responsáveis por nossas ações.

É necessário sintonizar essa ideia dentro de si. Quando você transfere a culpa para terceiros você não muda. Mudar é reconhecer erros e, a partir daí, aprender e lapidar a si mesmo.

E você, está sabendo evitar a Autossabotagem? Precisa de ajuda? Entre em contato agora com um psicólogo!

Voltar ao topo