Pular para o conteúdo

A importância de cultivar o amor próprio

É muito comum ouvir sobre o amor-próprio e que se deve amar a si mesmo, mas a maioria das pessoas ainda não tem ideia do que isso significa. Em resumo, o amor-próprio é o modo de relacionar-se consigo mesmo, sem que haja qualquer punição por algum erro que você tenha cometido.

Essa autocompaixão envolve se tratar com a mesma gentileza, preocupação e apoio que você demonstraria a seu melhor amigo. É a arte de reconhecer que a imperfeição é parte da experiência de ser um humano e que, quando confrontado com dificuldades na vida, enfrentando erros fracassos ou inadequações pessoais, devemos responder com auto-gentileza em vez de um severo autojulgamento.

Quem pratica o amor-próprio é mais otimista e tem um poder de recuperação maior em situações de estresse. Por isso, se você não sabe como praticar o seu amor-próprio, vou te ajudar a ter uma vida mais feliz e completa. Acompanhe, abaixo!

Amando a si mesmo

Todo mundo precisa de amor e você, provavelmente, gasta muita energia em amar seus familiares, amigos, cônjuges e filhos. Em contrapartida, as pessoas esperam que esse amor seja retribuído pelos outros que elas consideram importantes. O problema disso é que você não pode controlar as atitudes e ações das pessoas, depositando as suas expectativas em fontes externas de amor, pois, pode acabar se frustrando.

O amor-próprio é a maneira de alimentar sua vida com o amor que você precisa, sem que tenha que depender de outra pessoa para fazer isso. Você precisa se amar a si mesmo a ponto de transbordar e inundar com amor a vida de outras pessoas. E se, você ter reciprocidade de amor, considere isso como um lucro, não como um complemento para seu amor-próprio.

Além de fazer você se sentir bem, amar a si mesmo também ajuda a prevenir uma série de distúrbios, comportamentos indesejados e até doenças físicas. Quando você se mantém em alta estima e sabe que está cumprindo seu propósito na vida, você tende a ter mais prazer e uma atitude mais positiva em relação ao futuro. Além disso, o amor-próprio pode motivá-lo a adotar hábitos saudáveis e cuidar do seu eu físico.

Você se sentirá mais seguro consigo mesmo, evitando comportamentos como procrastinar, autossabotagem e outros vícios. O amor-próprio pode impedir que você se perca em seus próprios pensamentos e siga um caminho em direção a sentimentos negativos, que levam a ansiedade, a depressão, entre outros transtornos.

Como praticar o amor-próprio?

Você não consegue controlar os acontecimentos que ocorrem no seu cotidiano, mas você pode gerenciar como você responde às adversidades. As pessoas que se sentem bem lidam melhor com as crises da vida e passam para os bons tempos mais rapidamente. Amar a si mesmo pode criar uma alegria que você traz consigo para onde quer que vá.

Não se trata de ser egoísta ou narcisista, é sobre entrar em contato conosco mesmos, nosso bem-estar e nossa felicidade. Desconfie daqueles que dizem que amam a si mesmo, pois, quem se ama, não precisa declarar isso aos quatro cantos.

Você pode amar a si mesmo agora, mudando seu foco no que é importante. Saia da sua zona de conforto e tente algo novo. Comece cada dia dizendo a si mesmo algo realmente positivo. Encha seu corpo com comidas e bebidas nutritivas que ajudam você a ser mais saudável. Cerque-se de pessoas que amam e encorajam você. Dessa forma, qualquer um que faça você se sentir menos do que incrível não merece ser parte de sua vida.

É muito importante deixar de lado o hábito de comparar-se aos outros. Não há ninguém neste planeta como você, então você não pode se comparar a outra pessoa. Você não é melhor nem pior que ninguém. Você também não é igual. Você é apenas semelhante aos outros. Abrace e ame as coisas que fazem você diferente. Isso é o que faz você especial.

E você, está enfrentando dificuldade para amar a si mesmo? Está precisando de ajuda para praticar o amor-próprio? Deixe sua mensagem nos comentários ou entre em contato comigo!

Voltar ao topo