Você se compara a todo momento com os outros? Fica muito tempo pensando em seus erros? Recuse-se a pedir ajuda quando precisa? Se você pensa que esses comportamentos ajudam você a melhorar a si mesmo, está confundindo autoaperfeiçoamento com autocobrança.

As pessoas que são autocríticas em excesso têm mais probabilidade de se sentirem ansiosas e deprimidas. Elas têm menos autoconfiança em suas habilidades, o que prejudica seu potencial de sucesso.

Por isso, neste artigo, apresento o que é a autocobrança, porque ela ocorre, e quais são os prejuízos para a vida das pessoas. Você encontrará também uma lista com dicas de como diminuir a culpa e a autocobrança. Confira!

Por que a autocobrança ocorre?

A autocobrança anda de mãos dadas com a baixa autoestima. Quando você se compara com outros ou atrela os fracassos à sua autoestima, não é fácil ser gentil consigo mesmo.

Hoje em dia, estimulados por uma cultura de competitividade no mercado de trabalho, os indivíduos tendem a estabelecer altos padrões para si mesmos. No entanto, quando não atingem esses objetivos, em vez de estipular novas metas, eles experimentam o sentimento de frustração.

Diante disso, a pessoa passa a ser dura consigo mesma, o que inclui autocensura, autocrítica, autojulgamento, autopunição e preocupação extrema com seus erros ou falhas. As pessoas que são autocríticas olham para sua vida e veem todas as áreas em que não são perfeitas. Elas ignoram todas as outras coisas que são positivas.

Para diminuir essa autocobrança, é preciso entender que abandonar essa severa autocrítica somente irá beneficiá-lo.

Como deixar a autocobrança de lado?

Ser muito duro consigo mesmo impede que você evolua. Felizmente, é possível aprender a controlar a autocobrança. Com um pouco de perseverança e esforço, é possível construir a sua autoestima e ter uma vida mais feliz. Veja, abaixo, as principais dicas!

1. Faça metas realistas

Você é humano, portanto, não existe nenhum problema em cometer erros. Ninguém é perfeito e a vida não é perfeita. Os erros existem para que você aprenda com eles.

Portanto, estipule metas que você consiga alcançá-las, concentre-se seus esforços naquelas coisas que você tem controle e se comprometa com uma vida de aprendizado e autoaperfeiçoamento.

2. Procure lições em tudo

Quando algo não ocorrer conforme o planejado, reconheça o que deu de errado e procure aprender com o que aconteceu. Algumas autocríticas são bem-vindas, contanto que você mantenha a mente em algo contributivo.

Diante de um fracasso, pergunte a si mesmo o que você aprendeu e o que você pode fazer diferente da próxima vez. Repito, os erros são oportunidades de crescimento.

3. Pare de pensar negativamente

Pensamentos negativos distorcem a realidade, portanto, pare de pensar nos seus erros, pois, isso é um desperdício de energia. Desafie a negatividade e concentre sua energia em evoluir a si mesmo.

Até mesmo nos maiores fracassos há sempre pontos positivos. Por exemplo, se você perdeu uma vaga de emprego que tanto sonhava, você terá a motivação para se preparar mais, melhoras suas habilidades e conquistar um cargo melhor. Não passou no vestibular? Você terá mais um ano para estudar para conseguir vaga numa universidade melhor.

4. Trate você mesmo como um amigo

Seja gentil consigo mesmo e ame-se como uma pessoa imperfeita. Todos estão experimentando coisas novas, cometendo erros e crescendo durante o processo. Por isso, foque no seu valor e seja grato por todas as suas conquistas até o momento.

Pergunte todos os dias o que faz de melhor, as coisas que gosta em você e em sua vida. Escrever esses pensamentos em um diário e consultá-lo regularmente é uma dica que ajuda a diminuir a autocobrança.

5. Consulte um psicólogo

Você consegue reconhecer facilmente quando um de seus amigos está sendo duro consigo mesmo. Mas é um pouco mais difícil se autodiagnosticar. Diante disso, a psicologia ajuda em grande parte porque ela pode explicar porque as pessoas agem da maneira que agem.

Com esse tipo de percepção profissional, um psicólogo pode ajudar a melhorar a sua tomada de decisões e o gerenciamento do estresse tendo como base a compreensão do comportamento passado para prever melhor o seu comportamento futuro.

O psicólogo clínico ajudará você a utilizar a autocrítica em doses positivas, para ser usada em prol do autodesenvolvimento, e não da autodegradação. Isso ajuda as pessoas a terem uma carreira mais bem-sucedida, melhores relacionamentos, mais autoconfiança e melhor comunicação geral.

Dessa forma, ninguém é perfeito, mas você está aprendendo e crescendo a todo momento. Aconteça o que acontecer, você sempre fará o seu melhor, com o aprendizado que você adquiriu ao longo da vida. Assim, diminuir a autocobrança significa mostrar gentileza, respeito e amor a si mesmo.

E você, está precisando de ajuda psicológica para descobrir a origem da sua autocobrança? Marque agora mesmo uma consulta com um psicólogo!