De maneira geral, quem possui um transtorno de ansiedade sofre por causa de pensamentos que refletem sobre os acontecimentos futuros e suas possíveis consequências.

Geralmente, o foco desses pensamentos é apenas nas consequências negativas do que pode ocorrer, causando sensações intermináveis de medo e incertezas. Com isso, essas preocupações acabam desencadeando uma ansiedade excessiva e recorrente, podendo controlar negativamente a vida de um indivíduo.

Quando a crise de ansiedade se torna acentuada, até mesmo as pessoas ao redor também sofrem, pois é comum que o sujeito compartilhe esses pensamentos negativos com a família e amigos que, muitas vezes, podem não saber como agir. Por incompreensão e na tentativa de ajudar, as pessoas acabam causando mais perturbação do que dar um apoio para o ansioso.

Por isso, separei algumas dicas essenciais para que seja possível lidar com pessoas com transtorno de ansiedade, fazendo um melhor acolhimento e, principalmente, evitando alguns julgamentos desnecessários. Acompanhe!

1 . Evite dizer que é bobagem

Muitos dos pensamentos e sentimentos da pessoa com transtorno de ansiedade pode parecer “irreais” pelos outros. Por esse motivo, muitas pessoas acabam não dando importância para o que ela diz. Em alguns casos, pode-se acreditar que os sintomas da ansiedade sejam apenas uma “bobagem”.

É interessante ter em mente que não se trata de uma bobagem, mas sim, de um sintoma da ansiedade. Dessa maneira, quando a pessoa com ansiedade conversa sobre seus medos, seus pensamentos e suas preocupações (principalmente com eventos comuns), passa a ser interessante ouvir com atenção e percebendo que isso realmente traz preocupações para a pessoa.

2. Ajude para que ela foque no momento atual

Quando falamos em ansiedade, pode-se dizer que há uma dificuldade, por parte da pessoa, de vivenciar o momento atual. Ela acaba pensando demasiadamente no futuro, nos próximos acontecimentos e criando fantasias a respeito do que pode ocorrer.

Dessa maneira, ao perceber que a pessoa está fantasiando em demasia, principalmente quando está focando seus pensamentos nas consequências negativas, passa a ser interessante ajudá-la a focar no momento atual.

Algumas frases como “não vamos nos preocupar com isso agora” ou “pensar sobre isso apenas irá aumentar a ansiedade” podem demonstrar para a pessoa que ela está com os pensamentos no futuro.

3. Demonstre perceber o sintoma da ansiedade

Ao deduzir que a pessoa está ansiosa, passa a ser interessante demonstrar que você percebe isso. Em alguns casos, a pessoa com transtorno de ansiedade, principalmente aquela que está fazendo algum tipo de tratamento, precisa aprender a identificar os próprios sintomas.

Assim, quando alguém próximo auxilia nessa identificação, pode ficar mais fácil para que a pessoa venha a executar alguns exercícios que foram aprendidos durante o tratamento, visando diminuir os sintomas.

Por isso, quando você perceber que a pessoa está com sintomas de ansiedade, estando muito agitada, com pensamentos sobre as possíveis consequências das suas ações (de coisas que podem nem mesmo ocorrer), passa a ser interessante lembra-la que isso pode estar relacionado com a ansiedade dela.

4. Incentive a prática de atividades físicas

Em alguns casos, as palavras podem não ajudar. Por isso, passa a ser interessante propor algumas atividades que possam auxiliar para que a pessoa modifique seus pensamentos e pare de pensar na situação que está trazendo sofrimento.

De maneira geral, atividades como a meditação, caminhadas e até exercícios físicos são maneiras interessantes de lidar com a ansiedade. Além disso, algumas atividades que envolvam os pensamentos (como jogos), também podem auxiliar.

O objetivo é fazer com que a pessoa modifique o foco de seus pensamentos, deixando de criar fantasias que contribuem para a ansiedade. Juntamente com um tratamento psicológico, essas atitudes podem fazer toda a diferença.

5. Incentive a procura por tratamento

O tratamento psicológico para o transtorno de ansiedade é algo completamente comum nos dias de hoje, podendo ser realizado somente com um psicólogo.

Dessa maneira, se a pessoa não está realizando nenhum tipo de tratamento, passa a ser interessante incentivá-la para procurar um, demonstrando que com o tratamento ela irá aprender maneiras de lidar com o transtorno, modificando comportamentos e controlando respostas emocionais e pensamentos negativos.

E você, conhece alguém que sofre de transtorno de ansiedade? Tem alguma dúvida ou gostaria de mais dicas de como lidar com essa situação? Deixe sua mensagem nos comentários ou entre em contato comigo. Eu posso te ajudar!