Pular para o conteúdo

4 motivos que prendem pessoas em relacionamentos tóxicos

Cotidiano
4 motivos que prendem pessoas em relacionamentos tóxicos

Às vezes, é difícil entender o porquê de uma amiga ou familiar permanecer dentro de um relacionamento tóxico. Diante dos inúmeros abusos em relações desse tipo, é fácil se perguntar “por que a pessoa não termina e segue em frente?”.

A verdade é que essa é uma situação muito complexa, envolvendo uma série de questões que nem sempre são claras. É comum olhar o conhecido através de uma lente de compaixão, mas sem entender a fundo a dinâmica do relacionamento tóxico.

Portanto, se você suspeita que algum conhecido está em um relacionamento tóxico, segue alguns motivos que podem ajudá-la a ser mais empática e apoiá-la nesse momento difícil.

1. Medo da solidão

Atualmente, existe uma cultura na nossa sociedade de que a solidão é algo negativo. É comum ouvirmos o famoso “vai ficar para titia” ou “quem vai cuidar de você na velhice?”. Além disso, as pessoas são pressionadas a casar o mais cedo possível, como se o casamento na terceira idade fosse algo improvável.

O problema disso é que, por medo, muitas pessoas acabam embarcando em relacionamentos duvidosos, unicamente para não ficarem sozinhas. Na pressa (dos outros), a pessoa deixa de escolher melhor aqueles com quem vai se relacionar – o que é uma porta aberta para relacionamentos tóxicos. E, quando se está em uma relação abusiva, a pessoa tem receio de sair e ficar solteira para sempre.

2. Baixa autoestima

Outro fator que influencia no “ir embora” é a baixa autoestima. O indivíduo passa a questionar o seu próprio valor e acreditar que ele é o verdadeiro culpado pelo comportamento tóxico do parceiro.

Essa autodesvalorização também faz a pessoa minimizar a gravidade dos abusos do parceiro, acreditando que eles são normais. Isso acaba abrindo brechas para xingamentos, manipulações e, nos casos mais graves, até violência física.

3. Esperança

Muitas pessoas suportam o comportamento doentio dos parceiros simplesmente por que elas os amam. Elas acreditam que o relacionamento pode melhorar algum dia, mesmo que isso demore para acontecer.

Nesses casos, é comum a pessoa trazer para si a responsabilidade de “consertar” a relação, por meio da mudança de hábitos ou comportamentos. Porém, um relacionamento saudável não é construído de forma unilateral. Ela deve partir de ambos os lados.

4. Ameaças do parceiro

Outro comportamento comum é quando o parceiro abusivo faz uma espécie de “lavagem cerebral” na vítima, afirmando que ela não encontrará ninguém melhor do que ele, ou que ela ficará sozinha para sempre.

Nessas situações, é importante oferecer ajuda, mas sem pressionar a vítima a tomar qualquer atitude. A pessoa precisa aprender a priorizar seus desejos e objetivos de vida, além de pesar na balança os benefícios e malefícios de continuar em um relacionamento. Infelizmente, somente ela tem a capacidade de decidir isso.

É válido deixar claro que um relacionamento ruim, sempre será ruim. Todo mundo que esteve em um relacionamento tóxico sabe muito bem que nem sempre é fácil sair dele.

Você se sente preso em um ciclo prejudicial? Relacionamentos tóxicos podem ser difíceis de superar sozinhos, marque já uma consulta comigo!

Últimas publicações

images/blog/o-que-e-vergonha-e-como-lidar-com-ela.jpg
Cotidiano

O que é vergonha e como lidar com ela?

images/blog/o-que-e-bolha-social.jpg
Cotidiano

O que é bolha social e como ela pode afetar a sua vida

images/blog/porque-voce-deve-comecar-a-ter-compaixao.jpg
Cotidiano

Por que você deve começar a ter autocompaixão hoje mesmo

Tudo bem buscar ajuda!

Agende agora mesmo uma consulta e vamos conversar.

Agendar uma consulta
Yuri Busin