Pular para o conteúdo

4 coisas que ninguém nunca falou sobre o ciúme

Em Otelo, famosa obra de William Shakespeare, o ciúme é comparado com um “monstro de olhos verdes”. Essa comparação enaltece os perigos desta incoerente e perigosa emoção, em que um indivíduo ama uma pessoa, mas, ao mesmo tempo, suspeita dela.

A confiança é um aspecto importante para fortalecer qualquer tipo de relacionamento. Por outro lado, quando você está com ciúmes, essa falta de confiança pode levar a pensamentos negativos. Rapidamente, isso acaba se tornando uma bola de neve que só aumenta, destruindo qualquer relação.

Pensando nisso, fiz uma lista com algumas curiosidades sobre os ciúmes. Confira abaixo.

1. A origem do ciúme

O ciúme não é algo sobre o qual temos muito controle. Na verdade, é uma emoção bastante natural e instintiva que todos experimentam em um momento ou outro da vida. Porém, ele deixa de ser algo natural quando ele se apresenta em excesso.

Geralmente, o sentimento de ciúmes é gerado por uma combinação de fatores como: experiências vividas e da influência da cultura em que a pessoa está inserida.

Entretanto, o fator psicológico também tem grande influência nos ciúmes que a pessoa tem, principalmente se ela sofre de baixa autoestima, insegurança e falta de inteligência emocional.

Quando fora de controle, o ciúme pode rapidamente se tornar em uma paranoia, com a pessoa tendo pensamentos excessivamente críticos e experimentando sentimentos de medo, que só aumentam o estado doloroso.

2. Os perigos de ser alguém ciumento

O ciúme é uma das emoções mais poderosas que podemos ter. Se ele for alimentado, pode fazer qualquer um perder o controle sobre suas atitudes, agindo de forma irracional e sendo guiado por pensamentos distorcidos da realidade.

Seja em uma amizade ou em uma relação amorosa, o ciúme pode destruir qualquer relacionamento. O medo da perda pode jogar pela janela o afeto que o ciumento tem pelo outro, transformando a relação em algo extremamente tóxico, incluindo episódios de abuso e até violência.

Não apenas isso, mas ele também pode afetar a saúde da pessoa ciumenta, por conta da tensão e estresse constante. Essa emoção poderá ser traduzida em dores de cabeça, enxaquecas e, até mesmo, ataques cardíacos.

Se você se considera uma pessoa ciumenta é importante começar a rever esse sentimento. O ciúme tem o potencial de afastar todos aqueles que você ama, deixando-a sozinho. Portanto, é uma emoção cruel que pode arruinar sua vida sem saber.

3. Os sintomas dos ciúmes

São vários os sinais que alguém ciumento experimenta, entre eles:

  • Você não confia em seu parceiro ou amigo quando não estão juntos.
  • Você fica preocupado quando ele menciona outras pessoas.
  • Você verifica constantemente suas redes sociais para ver o que estão fazendo.
  • Você pensa que ele está te traindo sem ter provas.
  • Você está tentando controlar o comportamento de seu parceiro.

Porém, por mais estranho que possa parecer, o ciúme também pode ter um efeito positivo. Quando você reconhece os seus sentimentos de ciúmes, pode ser um sinal de que você precisa mudar.

Se você tem ciúme de um namorado, uma saída é tentar desenvolver um relacionamento melhor com seu parceiro. Essa ação coloca você novamente no controle da situação, ajudando a superar quaisquer pensamentos negativos e reconhecendo os seus pontos positivos.

4. O tratamento para o ciúme

Se você se sente incomodado com os ciúmes, consultar um psicólogo clínico pode ajudá-lo a explorar e abordar a causa desses sentimentos.

A terapia cognitiva comportamental pode ser usada para ajudar as pessoas a lidar com os sentimentos de ciúme, pois pode facilitar para as pessoas identificarem as crenças subjacentes que contribuem para ele.

Depois que você identifica quando e como o ciúme começou, o psicólogo pode ajudá-lo a explorar as experiências e pontos de vista sob uma ótica mais positiva. Esse processo ajuda a minimizar os sentimentos prejudiciais de ciúme e, ao mesmo tempo, fortalece a sua autoestima e inteligência emocional.

Para mais dicas de saúde mental e bem-estar, siga o meu perfil no Instagram @yuri.busin.

Voltar ao topo